BLOG

Empreender: da necessidade ao medo

A vontade de empreender cresce cada vez mais na nossa geração. E talvez não seja pelas razões que estás a pensar.

Para perceber de onde vêm essa crescente vontade, é necessário entender a forma como nos relacionamos com o trabalho e como essa perceção afeta os nossos desejos profissionais.

Já tenho vindo a falar algumas vezes, especialmente no meu perfil de Instagram, sobre o impacto geracional na nossa forma de trabalhar e comportar perante a nossa vida profissional. Isto significa que a geração onde nascemos influência de forma direta algumas das nossas necessidades e vontades, especialmente no que toca ao trabalho.

Assim, até podias pensar que uma das razões pela qual existem cada vez mais pessoas com vontade de empreender advém maioritariamente das novas formas de trabalhar – isto é, da facilidade em trabalhar desde um computador ou telemóvel, seja onde for. Levando a que seja mais fácil, hoje em dia, empreender. 

Na verdade, a perspectiva de que podemos trabalhar de onde queremos, desde que tenhamos uma conexão internet, não é a principal razão pela qual existe uma profunda vontade de empreender por parte dos trabalhadores da geração millenium.

A principal razão advém de uma necessidade intrínseca à nossa geração: o bem-estar e a realização profissional. Isto significa que, para um millenium, será muito importante sentir bem-estar no seu trabalho enquanto que, ao mesmo tempo, sente que o seu trabalho lhe traz realização pessoal e profissional.

Este é dos motivos que mais leva á vontade de empreender e aquele que é mais partilhado comigo pelas minhas clientes. Assim, quando pergunto “o que gostavas de fazer”, existe sempre uma parte da resposta que vai nesse sentido, como “…mas eventualmente gostava de ter algo meu, algo que seja o meu projeto”.

Isto advém claramente da necessidade em nos sentirmos realizadas no nosso trabalho e, por consequente, alcançar um certo estilo de vida associado, com uma maior flexibilidade, mais momentos de lazer, etc., que nos proporcionam maior perceção de bem-estar a longo prazo.

O facto de estarmos num período da história onde podemos efetivamente trabalhar a partir de qualquer lugar desde que tenhamos uma conexão internet acaba por ser apenas um bónus! No entanto, é de facto um fator aliciante!

Então, de onde vem o medo?

Em conversa com qualquer pessoa que deseja empreender, é ainda interessante analisar o tipo de discurso utilizado, tal como “um dia vou ter um negócio meu”. Porque não agora? O que nos leva a esperar?

Mais uma vez, este medo é relacionado com algo geracional. Desta vez não é algo próprio dos millenium, mas sim algo próprio à geração que os educou. Assim, esse medo advém muitas vezes das vozes externas, fumentado por uma necessidade de estabilidade e apoiando-se nas responsabilidades que temos enquanto adultos.

Quando existe a vontade de empreender, porque claro que existem exceções à regra e nem todo o millenium tem o desejo de empreender, é preciso perceber o porquê.

O que te leva a querer empreender? Qual o valor que está a mexer contigo?

E, se for o teu caso, e sentires aquele medo em te lançar, em começar e acabas por encontrar desculpas, será importante perceber de onde vem esse medo. Será que é a tua voz a falar? Ou será a voz da geração anterior? Será um medo de falhar ou um medo de não ser aceitado?

Por outro lado, é ainda importante entender que o medo é natural. E que vai acontecer seja qual for o rumo que decidires para a tua carreira.

Por isso, se empreender é algo que te chama – força!

Uma coisa é certa. Do momento em que sentires bem-estar e realização profissional naquilo que estiveres a fazer, enquanto millenium, terás maior satisfação no trabalho e, por consequente, na vida.

E acredita, a vida passa a correr. E vale a pena viver uma vida repleta de desafios, aprendizagens e bem-estar.

Partilha este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

© 2021 Anita Costa Coach